Translate

domingo, 4 de outubro de 2015

Inverter os papéis

    Ligo a televisão a qualquer hora de qualquer dia em qualquer semana e o tema abordado é a educação. Comentaristas falando sobre um sistema educacional público falido com professores mal remunerados, alunos desordeiros, comida vencida, falta de interesse da parte docente assim como da parte discente, entre outros tantos assuntos, mas façamos uma pausa para algumas pequenas perguntas:

-Quem está se pronunciando?
-Por que se preocupa com isso?
-O que faz para melhorar? Qual sua contribuição?

    Quando aparece o nome do ser e sua profissão temos uma surpresa, quem comenta é uma medico, engenheiro, astronauta que seja, que não tem contato algum com a escola pública. Façamos o mesmo, mas no processo inverso:

"Como um médico pode se achar ético atendendo os pacientes da rede pública em cinco minutos e sendo rude enquanto o mesmo médico pode fazer sua consulta com o mesmo paciente durar 30 minutos fazendo um check up completo e ainda virando amigo de infância do moribundo?"

Eu entendo de medicina a mesma coisa que sei falar em mandarim, mas estou falando partindo do médico que conheço e tenho contato julgando toda a categoria. E assim como eu estes profissionais não fazem nada para melhorar a situação reclamada. Apenas discursos vazios e sem apontar ao menos uma sugestão.

Estou errado?

Nós > Eles

    Não é de meu costume fazer isso mas essa música faz as vezes de um texto de minha autoria. Espero que gostem assim como eu gostei.



quinta-feira, 12 de março de 2015

O Espelho Sujo

     Meus professores de história sempre falam a célebre frase "A História é cíclica, por isso é tão importante estudar os assuntos do passado para que não voltem a ocorrer". Mas sempre buscávamos entender "o que esse cara tá falando???". Para quem não é da área de história, sociologia e áreas afins estas frases podem não fazer sentido, mas há meses venho analisando e vou expor aqui conclusões a que cheguei, espero quem leiam com, no mínimo, respeito.

Manifestações: em março e abril de 1964 ocorreram diversas manifestações pelo país, duas em especial que se chamaram de "Marcha da Família com Deus Pela Liberdade", e a segunda no dia 02 de abril (um dia após o golpe militar) chamada de "Marcha da Vitória".
   No ano de 2014 e no pouco de 2015 que vivemos, temos visto uma instabilidade político-social resultando em milhares de manifestações (muitas sem sentido), paralisações e greves por todo o país.

Motivos: em 1964, mais precisamente no dia 13 de março, o presidente João Goulart, fazia um discurso prometendo reformas de base. Este presidente tinha fortes laços políticos com países do bloco oriental, ou seja, os países comunistas após a Segunda Guerra Mundial, entre eles China, União Soviética e Cuba. Por isso este presidente era tido como comunista. Motivando as revoltas pelo país pedindo que o presidente fosse tirado do poder nem que para isso fosse necessário que os militares o tirassem de lá.
    Em 2014 a presidenta Dilma Rousseff se elegeu com discursos tipicamente comunistas onde o pobre teria "vantagens". Ainda em 2014 a presidenta formou o banco do BRICS que reúne Brasil, Russia, Índia, China e Africa do Sul. esta presidenta vem sendo chamada de comunista há muito tempo também. Esse motivos levam pessoas a pedir a intervenção militar no país.

Consciência Política: em 1964 o povo estava em meio a guerra fria e temia a ameaça comunista repassada tanto por livros, filmes e relatos hollywoodianos com o famoso tema "Comunista coma criancinhas", mostrando que a forma de governo comunista era brutal, opressora e assassina. Acabaram apoiando um regime de extrema direita que foi tudo isso multiplicado por um milhão.
    Em 2014/2015 o povo tem tecnologia a cada segundo do dia, mas a maioria não tem inteligencia política agindo pela vontade da massa agitada pela classe média alta da sociedade descontente com o governo que está prejudicando os donos de empresas. Mas o mais importante de tudo, a manifestação na rua serve pra uma coisa: Fotos pras redes sociais mostrando que sou revoltadinho, com frases de efeito, hipócritas, como por exemplo: "Vocês não nos representam!"

Resultou em que??:  em 1964 estas manifestações deram tanto apoio aos militares que na noite de 31 de março de 1964 todos os quarteis generais, principalmente em Brasília e Rio de Janeiro, pois muitas instituições governamentais ainda não tinham se mudado para a nova capital, e nas primeiras horas do dia 1º de abril de 1964 as sedes do governo amanheceram rodeadas por carros de combate e homens armados forçando a saída do regime democrático e impondo a sua "justiça".
     Será que em 2015, 51 anos depois vamos ter a mesma coisa se repetindo? este espelho está tão sujo que não conseguimos ver o reflexo de forma com que nos conscientizemos que o que aconteceu não é o ideal? Vamos mesmo forçar a saída de um regime democrático, que nos permite por lei até mesmo pedir idiotices como estas, substituindo pela "lei e justiça" opressora do regime ditatorial militar??


15/03 - EU NÃO VOU!!!! 

terça-feira, 10 de março de 2015

O protesto maior deveria ter sido feito nas urnas. E antes que falem merda: o voto nulo não conta pra nenhum candidato. Se não tava bom, vota pra ninguém, simples e eficaz. E um outro motivo é a redundância em parar um país em um dia que ele já está parado por força de lei, ou esqueceram que é domingo?

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Intervenção militar?

Chega de facebook, afinal quando aparecem protestos a favor da proibição de protestos é o sinal de que a terceira trombeta soa e que já não temos saída afinal, os brasileiros perecerão na burrice construída por eles mesmos através do comodismo, da ineficiência eleitoral, da decorrente desvalorização da educação, do crescimento de preconceitos...enfim, estamos construindo uma ditadura de dentro para fora e no meio da melhor parte da festa seremos mandados embora...É ISSO MESMO QUE VOCÊ QUER BRASIL? Só por que não mudou de presidente você considera a ditadura melhor? VOCÊ COM CERTEZA É UM GÊNIO!!!
Intervenção militar pode ser diferente de regime militar, mas serve muito bem de gatilho e desculpa para totalitários, assim como serviu em 1964, era uma intervenção contra os comunistas, acabou em 1985 como um regime militar....vamos pensar??? Comente a vontade, a discussão nos engrandece!



domingo, 26 de outubro de 2014

Pensem pelo lado positivo, a reeleição também traz alegrias. Alegria para a família Castro , afinal Aécio não faria o porto em Cuba. Alegria para a Globo que agora já pode voltar a elogiar Dilma. Alegria para uma brasileira, a filha da Dilma, por que vai ter seus 150 mil para sair com as amigas no próximo fim de semana. E principalmente para os jovens (trouxas) que foram às ruas em junho, afinal queriam a mudança, por isso continua a Dilma la...opss acho que deu TILT no cérebro...


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Dia do Futuro

   Hoje é o Dia dos Professores (isso explica o título). Mas ao invés de dar um dia de homenagens vazias (nem todas) não seria melhor e mais honrado valorizá-los todos os dias?
   Sim, valorizá-lo. Um dia de homenagens aos professores é como o dia das mães, dos pais, do avós...você diz pra ele um parabéns e acha que por isso você perdoou todo o ano de desrespeito. Agora tudo faz sentido afinal, por isso é no fim do ano o dia dos professores, agora entendo.
   Acho que todos deveriam render sim homenagens todos os dias a essa profissão tão nobre, pois antes mesmo de sair da faculdade, o professor recebe uma missão dura e difícil. MUDAR A REALIDADE DA NAÇÃO.
   Você acreditou nos políticos que prometeram a mudança do panorama social da nação? Putz cara, você realmente precisa refletir sobre isso. Não são os deputados que vão aguentar 40 alunos em uma sala de aula pequena, sem uma lousa se quer, te ensinando que você é capaz de mudar o seu destino para melhor a cada ano de escolaridade concluído.
   O professor que desmotivado para dar aula já não acredita mais no desafio, pois não recebe apoio para concluí-lo de três bases essenciais:

Aluno: é o primeiro nível de desestímulo, pois o professor chega esperançoso para mudar o futuro de seus alunos através de uma forma interessante de estudar, com muita vontade de ensinar o que aprendeu em seus longos anos de graduação, pós, mestrado, doutorado...e acaba encontrando um aluno que tem o único desejo (egoísta) de se divertir, muitas vezes bêbado, com seus amigos por aí. Então o professor muda o método e se torna mais exigente e esbarra na segunda base.

Família do aluno: deveria ser responsável pela educação domiciliar do aluno para facilitar seu convívio na sociedade e seu aprendizado em sala de aula, porém agrega para si a postura de, ou ignorar o processo, ou então ir tirar a limpo com o professor "porque está perseguindo o aluno" e diz que o professor deveria fazer aquilo pelo que é pago para fazer, aí está uma pista da terceira base.

O político: este deveria repassar verbas para melhorar as condições do professor em sala de aula e o salário. No entanto, pode ser que muitos políticos não tiveram um bom professor e então acham que têm que se vigar em todos os professores existentes. Não repassam verbas, o professor se desestimula e a educação decai.

Reflexo: uma nação quem não sabe sua origem e nem quer saber, muitos trabalhadores de serviços braçais, poucos intelectuais, exploração do governo por que o povo não se interessa com política e uma consequência que renova o ciclo:
Um povo que vota em promessas (compra de votos) e espera o melhor para a nação (EU) por que não vai cobrar depois da eleição.

Volto a questão inicial:
Damos um dia aos professores e continuamos como está ou os valorizamos todos os dias e mudamos de verdade a nação???